02/11/2015

Movies | Assistidos em Outubro ☆

1. Tatuagem (2013) ~~ Hilton Lacerda 

Tatuagem é um filme que se passa na minha cidade querida (Recife ♥), e traz uma reflexão bastante sensível e real sobre a questão da liberdade de expressão através da arte na época da ditadura. Isso é retratado pelo grupo de teatro Chão de Estrelas, que procura resistir à opressão e a perseguição, por meio de suas atuações subversivas e sem censuras. Vale a pena conferir!

2. Corra, Lola, Corra (1998) ~~ Tom Tykwer

Esse é um dos filmes mais extasiantes que eu já vi em toda minha vida! Basicamente, a história gira em torno do namorado de Lola que faz parte de uma quadrilha, e acaba perdendo uma grande quantidade de dinheiro no trem. Ele entra em desespero por só ter 20 minutos para recuperá-lo, e conta com a ajuda de sua namorada. E é aí que começa a incansável corrida contra o tempo, mostrando situações e possibilidades, remetendo a Teoria do Caos. Me lembrou bastante o filme Efeito Borboleta!

3. O Palhaço (2011) ~~ Selton Mello

Esse filme é pura poesia! A mensagem que ele passa é muito fácil da gente se identificar, já que é bem comum nos sentirmos sem graça pelo menos uma vez na vida, e até mesmo com vontade de desistir do que somos. E é nesse contexto que a história do filme se desenvolve. Confesso que no começo achei um tanto quanto entediante, mas no desenrolar ele vai se encontrando e a gente vai se prendendo cada vez mais. A fotografia é de uma sensibilidade enorme, e o clima meio depressivo faz a gente sentir na pele as emoções do palhaço. Recomendo!

4. Que Horas Ela Volta? (2015) ~~ Anna Muylaert

Assistir esse filme me deixou profundamente feliz. Primeiro porque é muito bom ver a crítica à burguesia escrachada assim, mostrando pra quem finge não enxergar a triste realidade da nossa sociedade atual, e que não é cenário imaginativo criado por ideologia esquerdista. E segundo, porque a forma sensível que esse filme foi abordado é algo de encher os olhos. A simplicidade da atuação de Regina Casé, os diálogos, as situações recheadas de críticas do começo ao fim e a fotografia leve faz parte do conjunto desse filme que vale muito a pena assistir com os olhos da percepção.